Destaques

segunda-feira, maio 11, 2009

Nilmar vence o Corinthians no Pacaembu

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

“Alguém tinha que ter feito a falta no Nilmar”, clamava meu pai após ver pela primeira de incontáveis vezes na noite desse domingo o golaço do atacante. A derrota para o Inter por esse gol a zero marcou a reestréia do Timão na Série A e foi a primeira derrota do time no Pacaembu neste ano.

A partida que marcou a reestréia do alvinegro na Série A, um prato cheio para o marketing fazer uma festinha, foi atropelada pela praticidade de Mano Menezes, que anunciou desde quarta-feira que pouparia titulares. No entanto, não imaginava que seriam tantos: apenas Christian e Felipe entraram em campo. No meio do segundo tempo, Mano lançou Dentinho e Alessandro, mas não foi o bastante para reagir.

Pelos melhores momentos, o Inter dominou o primeiro tempo, com chances de ter ampliado. Na segunda etapa, o Corinthians teve mais chances, mas não tão boas assim, fora uma boa jogada de Lulinha na ponta direita que Alessandro bateu fraco para o gol.



Reservas – Do time que jogou, o Ricardo do Retrospecto gostou da atuação do volante Jucilei, recém chegado do J. Malucelli, a filial corintiana no Paraná. O jogo deu mostras de que o time precisa de reforços para o banco. Mas não chega a ser tão definitivo. Poucos times tem a possibilidade de ter reservas na mesma altura para todas as posições – talvez só o São Paulo, se tiver. Mas as contratações de alguns jovens, como Jucilei, mostram que o pessoal está preocupado com isso e com a possível saída de jogadores na janela do meio do ano. Falta bastante, mas eu focaria num zagueiro (Jean e Escudero não...), num lateral-direito (já que Mano parece não gostar do pouco aproveitado Diogo) e num centroavante para o lugar de Souza. No mais, eu buscaria um meia para ser titular e um atacante para disputar com Dentinho e Jorge Henrique. Se possível, para levar a vaga de um deles.

Para poucos – O Timão sentiu na pele como é enfrentar um craque. Segundo a Folha, Nilmar recebeu 15 bolas no jogo, deu sete dribles, seis passes e apenas uma finalização. Segundo ouvi por aí, driblou diretamente quatro defensores corintianos e passou por oito na jogada do gol. Driblou mais um quando deu o passe para D’Alessandro deixar Tayson na cara, em jogada desperdiçada pelo garoto. Resumindo, Nilmar fez basicamente duas jogadas na partida: uma decidiu o jogo, a outra poderia ter ampliado. Dunga, você viu?

Copa do Brasil – Agora, resta ver se o “investimento” corintiano de jogar com os reservas vai valer a pena no confronto com o Fluminense pela Copa do Brasil, nesta quarta, no mesmo Pacaembu. Flu que venceu o São Paulo, no Rio, por 1 a 0, com um belo gol (em outra rodada seria chamado de golaço, mas o de Nilmar subiu a média) do meio-campo Maurício. O Tricolor carioca fez boa partida e dominou o São Paulo, que só conseguiu pressionar no final do jogo. Achei curiosa a movimentação de Fred, que jogou bastante fora da área, quase como um meia-atacante.

9 comentários:

Victor disse...

Nicolau,

para entrar no clima de Corinthians x Fluminense no meio da semana, eu achei que tem coisa errada no ataque tricolor quando Fred tem de jogar onde jogou.

Mas foi um jogo atípico pelo gol aos 2 minutos. Reconheço. Mas não gosto que o 9 tricolor saia de onde foi contratado para jogar.

Essa da falta me lembrou o Maradona passando por todo mundo em 90 com escolta do meio campo brasileiro.

Fabricio disse...

Pra mim o Mano quis poupar o time titular de uma eventual derrota que abalasse o ânimo para o jogo contra o Flu.

Ouvi em vários lugares que o time reserva deu trabalho pro Inter, que não merecia perder e tudo o mais.
Vi o VT ontem de noite e acredito que o Inter jogou enquanto quis. Não passou perto de não ganhar o jogo (como dito no post, as chances do corinthians não foram lá tão claras) e tirou o pé no segundo tempo mais por ver que não precisava correr muito contra o adversário.

Anselmo disse...

que golaço!

o inter é candidato ao título. o corinthians, a uma vaga na libertadores. mas isso, na primeira rodada, quer dizer muito pouca coisa.

Nicolau disse...

Pois é, Victor, estranhei também. Não vi o Conca em campo, que aconteceu com o rapaz? Fabrício, não acho que seja tão claro que o Iner ganharia do time titular do Corinthians. Mas de um jeito ou de outro, se é para priorizar e poupar jogadores, que as coisas fiquem claras e se bote o time quase todo reserva.

Maurício disse...

Desconcordo respeitosamente de vosso pai, Nivaldo, não podiam ter feito falta no Nilmar. Aliás, bem que tentaram, e isso dá ainda mais beleza ao gol.
Incrível, de placa.

Leandro disse...

Exagerada a reação ao gol do Nilmar, pois até menor de idade, juvenil totalmente sem noção do que é um jogo profissional ele driblou nesta sequência. Estivessem lá Elias, Chicão e até o fraco William e dificilmente ele passava do 2º.
Sobre poupar praticamente o time todo, eu já ia passar sem criticar o Mano porque ele deu uma justificativa científica, afirmando que o departamento médico identificou grande probabilidade de lesões musculares em quase todo mundo por conta dos últimos jogos (todos decisivos) ao contrário do Inter, que estava em férias, e porque o uruguaio Acosta, para variar, estava lesionado e por isso não entrou ontem. Com Acosta no lugar de Souza e mais um ou dois dos moleques que ganharam a Taça SP (Sacha e Bruno Bertucci, por exemplo) em vez dos totalmente desconhecidos de ontem, o Corinthians virava o jogo.
Porém, para não passar sem críticas, o Mano me tira o Jucilei, melhor em campo naquele momento...
E tomara que essa justificativa médica para poupar todo mundo seja verdadeira, pois também achei um exagero jogar só com dois reservas para um time que inicia um campeonato de pontos corridos num momento em que o título do outro é mera hipótese, e distante, considerados os adversários que teria pela frente até a longínqua final no mês de julho.

Leandro disse...

Digo: Também achei um exagero jogar só com dois titulares.

Glauco disse...

O Boquita dá uma chegada no Nilmar e o Jean dá quase uma tesoura nele, que escapa dos dois. Se fazer um gol assim é fácil contra "amadores", juvenis etc., porque não se vê gols assim na Copa do Brasil, que tem times fraquíssimos enfrentando outros com craques? Foi golaço mesmo.

Leandro, o Inter está na Copa do Brasil, não está de férias.

Fabricio disse...

Podia substituir quem fosse. E jogar até o dia seguinte. O Inter ia seguir cozinhando o corinthians enquanto quisesse. Essa foi a impressão que tive vendo o jogo.