Destaques

quinta-feira, agosto 06, 2009

Entre bizarrices, três pontos para o Santos

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Foto: Valtecir Santos / Gazeta do Povo/Futura Press
Coritiba x Santos fizeram um jogo ontem que nasceu, cresceu e morreu inusitado. A começar pelo local de realização da partida. Por conta de lambanças da torcida coxa-branca, a peleja teve que ser disputada no município de Cascavel, distante cerca de 500 quilômetros da capital do estado. Com isso, o Santos teve ampla maioria nas arquibancadas.

Que estavam brancas não apenas pelas camisas do alvinegro paulista usadas pelos torcedores, mas também por máscaras anti-H1N1 que enolveram o rosto de todos os presentes. Cascavel é um dos municípios afetados pela gripe suína – ou Gripe A, ou aquela causada pelo Influenza A H1N1 – e a Justiça local queria impedir a realização do jogo, para que fosse evitada a aglomeração de pessoas. Optou-se pela manutenção da partida, mas com a condição que todos os torcedores usassem a já famosa máscara branca. Bizarro.

Mais um fato interessante aconteceu no intervalo. Os times trocaram de roupa na mudança do primeiro para o segundo tempo. O Coritiba deixou a camisa branca com faixa verde no peito e voltou para o jogo com um belo modelo integralmente verde. Já o Santos trocou o listrado pelo branco simples. O motivo? A camisa listrada em branco e preto do Santos não é tão diferente assim do branco tradicional, ainda mais quando se vê de longe. Alô, dona Umbro, simbora acordar pra vida e fazer o óbvio - segundo uniforme com mangas pretas ou um listrado convencional. Nada de invenciones que prejudiquem o andamento do jogo!

Até agora o post não abordou o jogo em si, como já perceberam os leitores. Há dois motivos para isso. O primeiro é o fato deste que vos fala não ter visto o jogo, sequer ouvido no rádio. Desleixe, falta de comprometimento com o time do coração? Que nada, foi falta de opção mesmo. Apesar de o jogo ser às 21h50 e de, nas quartas-feiras, Globo e Band poderem pôr no ar partidas diferentes, os dois canais optaram por transmitir simultaneamente o duelo Náutico x Corinthians. Não nego o óbvio e sei que o Corinthians tem bem mais audiência do que o Santos, mas será que não é mais negócio para a Band transmitir um jogo diferente e dar opção a outra torcida, em vez de tentar correr atrás dos poucos que preferem Neto a Casagrande? Sei lá.

De qualquer modo, o Santos venceu sua segunda partida seguida - as duas foram fora de casa - e celebra uma "boa fase" que esteve longe de viver em 2009. No sábado, o time encara o Avaí e, se vencer, deve ir para a metade de cima da tabela - o que, nas atuais conjunturas, é algo a se comemorar.

10 comentários:

escoriafc disse...

Olavo, nestes casos é justin.tv na cabeça.

Anônimo disse...

a Band só pode passar o jogo que a Globo deixar, eles não tem essa opção, pode se informar sobre isso, essa cláusula foi que fez a Record romper o contrato que tinha com a Globo, a Band entrou no lugar da Record aceitando essa situação e não pode reclamar dela, é contrato.

Anselmo disse...

sempre se pode reclamar de quem assinou um contrato...

acho que poderiam personalizar as máscaras com o escudo dos times. seria mais um produto licenciado pra render um troquinho.

e grande Cascavel! é muito louco o time da Baixada Santista ter mais torcida por lá do que o da capital do estado.

agora, preferir Neto a Casagrande é improvável, vá?

Nicolau disse...

Sobre Neto e Casagrande, sempre tem quem acha engraçado. Sobre as máscaras com escudo do time, aprovado.

olavo disse...

Anônimo, Globo e Band podem, sim, passar jogos diferentes às quartas-feiras. Inclusive, nesse ano mesmo eu assisti a Santos x CSA (...) pela Bandeirantes, enquanto ao mesmo tempo a Globo passava um jogo do São Paulo pela Libertadores. A obrigação pela mesma partida rola no domingo.

Caio Andreolli disse...

Quando ocorrem esses casos de não ter onde assistir, apareça em um boteco que só tem santista. Fica na r. Bosque da Saúde, 750. Só gente boa.

Victor disse...

Glauco,

Nada me irrita mais que invencionices com o uniforme. Dá muita raiva, até no time dos outros.

A vantagem para o santista é que nNada pode ser pior que o short com estrelinhas do meio dos anos 90! (quer dizer, consegue sim. O time do Peixe do final dos anos 80)

Nicolau disse...

Victor, não tinha um short dessa mesma linha que tinha uma baleia desenhada? Ê, criatividade!

Fabricio disse...

Se a Globo pudesse escolher qual jogo a Band deveria passar, com certeza absoluta não iria pedir pra Band passar o mesmo, concordam?

Mas concordo com o Olavo. A chance da Band ter uma audiência maior é passando outro jogo. Pelo menos teria a parcela toda de santistas, que imagino ser maio que a de corinthianos anti-globo. Repito: imagino.

Claro que não entendo nada de televisão e a escolha deve ter sido esta por acharem que seria o melhor. Ninguém é burro senão não estaria lá escolhendo a programação.

Glauco disse...

Claro que a Globo ia pedir, e pede, pra Band passar o mesmo jogo. Pede não, manda. Assim ela não tem concorrência e consegue manter uma distância saudável e regular da emissora sempre. Ou a Band ia ser burra de transmitir a mesma partida? Aliás, provavelmente a Globo fez essa imposição porque a Band já transmitiu jogos diferentes e deve ter conseguido resultados melhores do que agora.

De fato, só tem esperto escolhendo a programação e os negócios da Globo. Em tempo: quem tem os direitos do Brasileirão é a emissora carioca e por contrato pode fazer as restrições que quiser em relação à paulista.