Destaques

sexta-feira, agosto 07, 2009

Governo pede calendário europeu para segurar atletas no Brasil

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Deu na Agência Brasil. Em 30 dias, uma proposta de calendário para o futebol brasileiro será apresentada. A intenção é aproximá-lo do cronograma europeu para reduzir o risco de os melhores jogadores deixarem o país no meio do campeonato, quando está aberta a janela de transferências – períodos em que os clubes do Velho Continente podem registrar novos jogadores.

Roosewelt Pinheiro/ABr
Em reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o da Confederação Brasileira d Futebol (CBF) Ricardo Teixeira e o ministro dos Esportes Orlando Silva (foto), também se definiu que virão propostas para aperfeiçoar a gestão dos clubes e reduzir o endividamento.

Qualquer mudança exigiria um período de transição e não seria para 2010. Segundo o Terra, Lula teria voltado a "reclamar da venda de jogadores do Corinthians para o exterior". Incorrigível que é, continua a misturar política com futebol.

A comparação foi com uma lei de responsabilidade fiscal para os clubes. A legislação citada limita gastos com folha de pagamento e estabelece punição para administradores públicos que gastarem mais do que arrecadarem. É difícil imaginar isso aplicado a clubes com força de lei, já que os estatutos deveriam prever a boa gestão.

"Há dívidas trabalhistas, fiscais e bancárias enormes. É preciso reestruturar essas questões de modo a dar eficiência ao futebol”, resumiu Orlando Silva.

Os salários milionários de jogadores foram apontados como um dos vilões, mas como reduzi-los significaria facilitar a debandada de craques – mesmo os de segunda linha –, a solução seria por outro lado, na visão do ministro.

Lula ainda teria pedido para a CBF liberar a Copa América de 2015 para o Chile, a pedidos da presidente Michelle Bachelet.

Já pensou?
No site da CBF, nenhuma informação sobre o encontro está disponível. Segundo O Globo, Orlando Silva vai tentar aproximar Teixeira do Clube dos 13 para criar o projeto de desenvolvimento do futebol.

Outra interessada emitiu nota. "A TV Globo é contra a mudança no calendário do futebol brasileiro por considerar que não traz qualquer benefício aos clubes ou aos campeonatos disputados no país, além de descaracterizar a temporada brasileira, que termina nas férias de verão, como na Europa."

Ouvi "nada muda"?

12 comentários:

Olavo Soares disse...

Concordo com a Globo. Não há NENHUM sentido nessa mudança. O pessoal vai sair do mesmo jeito. Não tô com números na mão, mas até apostaria que o "saldo de gols" entre os jogadores que saem e os que chegam não é tão diferente assim - puxando de cabeça, temos de um lado André Santos, Cristian e Douglas, e do outro Edu (os dois) e Cléber Santana.

Com essa medida, parece que a CBF (e o Brasil como um todo, já que o governo federal vai intervir diretamente) tentará passar ar de modernidade com o "seguir a Europa" e isso não trará benefício algum.

Ridículo, ridículo, ridículo.

Caio Andreolli disse...

Temos que nos adequar ao calendário europeu sim. Primeiro pq nossos jogadores irão embora qndo o campeonato estiver acabado, segundo que terá uma janela para nossos times fazerem amistosos e participar de campeonatos no exterior durante o recesso, arrecadando e expondo a marca do clube.

Olavo Soares disse...

Admito que não havia pensado nessa questão dos amistosos. Essa até que é uma boa sim. Mas não suficiente para que joguemos nossa tradição fora.

Por que achar que a mudança de datas vai resolver alguma coisa...

Aliás, esse papo me lembra muito o que se falava por aqui no pré-2003. Muita gente vomitava: "o futebol é desorganizado, é um lixo, enquanto não for um campeonato de pontos corridos, os craques vão embora".

Pois bem, o futebol brasileiro tá organizado como nunca (sem ironias) e, também como nunca, os jogadores estão saindo.

Glauco disse...

Olavo, além destes, o Vágner do Cruzeiro foi embora, assim como o Kléber quase está indo; o Pedrão do Barueri se evadiu etc etc. A balança comercial brasileira, em termos de jogadores, sempre foi favorável (em termos financeiros) para o Brasil. A diferença é que as vendas para o grupo dos grandes europeus diminuiu, aumentando para os periféricos. Ou seja, o "valor agregado" do nosso "produto", falando em termos mercantis, diminuiu. Na "importação", sobram os veteranos e fracassados nos grandes centros. Podem usar o eufemismo que quiser, podem jogar bem quando voltam, mas no retorno são isso que eles são.

E não vejo nenhum problem do governo intervir. Afinal, é o maior credor, de forma direta e indireta, desses clubes ineptos, tendo feito até a tal Timemania para ajudar os incompetentes. Acho que é importante discutir a questão, e o governo tem OBRIGAÇÃO, a meu ver, de participar da mesma.

Maurício disse...

Eu brindaria uma cachaça com o Lula pela mudança.

Maurício disse...

Tem que atentar que duas questões misturadas aí. Uma é os jogadores não saírem. Outra é os jogadores não saírem no meio do campeonato. Fica um campeonato estranho, com times que se desestruturam no meio do caminho, e outros que, pelo seu mau desempenho anterior, não conseguem vender ninguém e melhoram.

Esse argumento de que se quer seguir a Europa para dar ar de modernidade não tem nada a ver. Seguir o calendário da Europa é admitir que os jogadores vão sair mesmo, que estamos longe de ter uma circulação de capital suficiente para conter a saída dos jogadores e ter aqui um capeonato de nível europeu. Ou seja, é uma maneira de organizar melhor para não intervir. Me parece bastante óbvio isso.

Mas concordo que é estranho mudar toda a tradição do calendário futebolístico. Não gosto muito disso, mas acho que, no mundo globalizado, há que ser sensato.

Quanto à Globo, ela sim poderia contribuir muito com o futebol, por exemplo, não interferindo no horário dos jogos, que poderiam acontecer muito mais cedo, mas seria um pecado – contra a conta bancária da Globo – fazer o jogo no horário da novela.

Nicolau disse...

O Maurício tem razão, a mudança no calendário não vai impedir que os jogadores saiam, vai impedir que saiam no meio do Brasileiro. Acho que favoreceria o campeonato.
Para impedir a debandada, precisamos que os clubes encontrem outras fontes de arrecadação - ou que procurem, já que não confio que todas diretorias estão mesmo preocupadas com isso. Nessa pode entrar a outra parte da discussão, com o governo intervindo de alguma forma na gestão dos clubes. Não sei como isso pode ser feito, em termos legais, mas pode ser uma saída.
Sobre a Globo, ela claramente faz parte dos interessados na manutenção da situação. Seria muito, mas muito bom se outras emissoras arranjassem bala na agulha pra brigar de verdade com a Venus Platinada.

Anselmo disse...

quem misturou os assuntos foi o ministro, porque eles estão misturados. a proposta de mudança no calendário é mesmo pra impedir desmanches de times no meio das competições. a outra parte do projeto que lula pediu à cartolagem foi de conseguir estruturar melhor os clubes.
mas não basta ter a "boa ideia" de estruturar melhor os clubes. gestão profissional, ampliar receitas e qualquer outro jargão desses não significam nada por si só.

Glauco disse...

O Anselmo já colocou a culpa no ministro. MAis um comentário e vamos chegar ao famoso a culpa é do Lula .

Anselmo disse...

o ministro misturou assuntos que estão misturados... isso porque foi ele quem deu a entervista. então, se culpa for responsabilidade, ok. mas se culpa for de misturar, aí não, porque os temas estão relacionados antes de o ministro abrir a boca (e antes de lula assumir tbem).

a mudança de calendário é uma das propostas dentrode um conjunt ode mudanças. entre os objetivos, estão os desmanches de times no meio dos campeonatos e estratégias para tornar clubes mais organizados e menos individados. são temas misturados.

agora, se é pela piada, que a culpa seja do lula...

Anônimo disse...

Eu tenho a impressão que os clubes europeus não têm mais interesse em convidar os clubes brasileiros para participarem de torneios na Europa, por um motivo: os craques brasileiros jã estão todos lá, assim, os clubes brasileiros já não têm o que mostrar para os europeus.

gerson disse...

O Lula é um estadista: só descobre o problema quando afeta o time dele. Que maravilha.