Destaques

quinta-feira, agosto 27, 2009

Se fosse uma vitória, seria perfeito

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Serei sincero aos leitores: prefiro ver uma vitória meia-boca do meu time do que um bom jogo do qual o Peixe deixa o campo sem os três pontos na conta. Então seria hipocrisia da minha parte dizer que fiquei satisfeito com o que vi nessa quarta. Mas, apesar disso, não posso dizer que deixei o Urbano Caldeira fulo da vida.


Afinal, Santos e Inter fizeram um duelo cheio de alternativas e bons momentos de futebol de ambos os lados. Três gols para cada time e uma emoção que perdurou até o apito final.



O início meteórico do Santos sugeria até uma goleada. Nem bem se contavam 15 minutos de jogo e o Peixe já vencia por 2x0. Mas aí o Inter mostrou sua qualidade ofensiva - e o Santos, defeitos a retaguarda que não se resolvem nem por reza brava - e o Colorado empatou. Veio o intervalo, no segundo tempo o Inter foi à frente, o Santos buscou o empate e talvez até merecesse a vitória.

Defino como dois os principais aspectos positivos da partida. O primeiro é a recuperação - ao menos temporária - de Kléber Pereira. Centroavante vive de fazer gols. Se não faz, não há "pivô", "parede", "movimentação" que deem conta do recado (e nem isso Pereira vinha fazendo). Mas Pereira fez um belo tento contra o Goiás e hoje mostrou confiança para ir às redes duas vezes. O primeiro gol foi um golaço e o segundo teve certo grau de dificuldade, o que valoriza a conquista.

Outro ponto digno de nota foi a determinação do time. Pode se falar tudo do Santos de hoje, menos que o time foi relapso. Faltou atenção e até mesmo qualidade, mas não empenho para buscar os três pontos.

Em termos negativos, é preciso que se ressalte a péssima atuação (mais uma) do setor defensivo do Santos. Nem Felipe, que havia mostrado qualidade contra Goiás e Cruzeiro, foi bem hoje. O miolo de zaga assistiu ao Internacional fazer os gols e Rodrigo Souto, que deveria dar o primeiro combate (principalmente após o intervalo, quando Rodrigo Mancha deu lugar a Germano) fez uma de suas piores atuações pelo Santos.

Evasão
Pra fechar, mais um questionamento da série "perguntas mais do que manjadas, mas que sempre devem ser feitas": o que foi o público oficial da Vila Belmiro hoje? A contagem marcou menos de 8 mil pessoas e arrisco dizer que tinha muito mais gente por lá. Na contagem oficial, a Vila Belmiro pode receber 20 mil pessoas. Pergunto ao presidente santista Marcelo Teixeira: o senhor se responsabilizaria em chamar 12 mil pessoas na rua e convidá-las para o estádio?

8 comentários:

Vinicius Grissi disse...

De fato, foi um bom jogo entre dois grandes times. O Santos ainda pode sonhar com algo maior no Brasileirão, mas para isto, precisa começar a ganhar dentro de casa.

Quanto ao público: acontece em todos os estádios do Brasil. É uma lavagem de dinheiro só...

gerson disse...

A defesa furada do Santos só não causou mais estrago pq a defesa do colorado tb é pra lá de furada, hehehe.

Nicolau disse...

Pelos melhores momentos, foi um jogaço!

Eriandro disse...

Duas equipes medíocres, spo podeia dar nisso. Parece até o Sport 3 x 3 Náutico, os dois eram tão ruins, por isso os 6 gols.

Eriandro disse...

"SÓ PODIA..." Correção.

Glauco disse...

De fato, medíocres no sentido original do vocábulo, Eriandro. Mas te garanto que foi um 3 a 3 bem melhor do que Corinthians e Botafogo, principalmente em termos de arbitragem...

Fabricio disse...

Eriandro, então Brasil 6x2 Portugal deve ter reunido dois dos piores elencos da história do Universo, pela sua lógica, né?

Anselmo disse...

impressionante o alecssandro fazer três gols num jogo.

mas deve ter sido um jogão