Destaques

terça-feira, agosto 25, 2009

Pedro Simon dá o tom em vídeo divulgado por boletim do PSDB

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Chegou em uma de minhas contas de e-mail um boletim do PSDB com o assunto: "Lula, Collor, Sarney – você viu o que eles disseram?‏" A mensagem é assinada por Eduardo Graeff, cientista político e ex-assessor da Presidência da República.

A mensagem faz parte de uma sequência que o partido tem enviado aos contatos de seu site pedindo atualização de cadastro e apoio para a eleição de 2010. Quem mandou pedir notícias sobre a legenda?

O objetivo da ação é atrair simpatizantes para "virar o jogo" das eleições de 2010, na busca pela "a melhor equipe de apoiadores", "capaz de combater a máquina do Governo e do PT".

Para isso, usam o vídeo O Brasil não é problema deles, uma montagem de trechos de discursos de José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, Fernando Collor de Mello (PTB-AL), senador e ex-presidente, Lula e Dilma Rousseff (PT-RS). A estratégia é colar os petistas aos ex-mandatários da nação.

Até aí, tudo normal, estratégia de partido de oposição que também já está com os dois pés nas eleições do ano que vem. Pode-se criticar o vídeo ou elogiar a montagem ou dizer o que se quiser. Não fosse por um detalhe.

Quem dá o tom crítico à edição, aquele que manda as estocadas e ironias é ninguém menos que o tucano... Pedro Simon (PMDB-RS)?

Ué!? O senador gaúcho refere-se a seu partido como o "MDB", para lembrar que ele está lá há muito tempo. Não tem oficialmente nada de PSDB, mas está lá no vídeo como o único que não leva pedrada. E nenhum outro tucano está no vídeo. Onde estão Arthur Virgílio (AM), Tasso Jereissati (CE), Álvaro Dias (PR)? São 13 os membros do partido no Senado, e recorreram a um (pra lá de crítico) integrante do partido de José Sarney para fazer o trabalho.

Será que, sob os olhos do diretório nacional do PSDB, os senadores tucanos estão fora do tom?

Confira:

4 comentários:

Nicolau disse...

Ah, se você pode botar um suposto aliado de seu adversário para fazer seu serviço sujo, porque não? Aumenta a credibilidade da crítica e a sua própria.

Glauco disse...

Como o PSDB teve que esconder o Virgílio e acalmar o Jereissati, sobrou esse guardião da moral e da ética, Pedro Simon, pra bater no governo. A propósito, bem tosco o vídeo, se os tucanos mantiverem o nível na comunicação vai ficar ruim pra eles.

Esquemas táticos disse...

Bom, enquanto isso, no governo Yeda Crusius...

O senador nada fala sobre o governo da tucana Yeda. Por que será?

Porque ele é pau pra toda obra do PSDB. Mas feio mesmo são os jornalões insistirem em não-notícias e não investigarem os casos dos senadores Arthur "10 mil" Virgílio, Tasso "tenho jatinho porque posso" Jereissati e Álvaro "sem declaração à RF" Dias.

Olha, não é só álcool gel e Tamiflu que estão em falta, óleo de peroba também está acabando.

Abraços,

Marcelo Costa.

Brunna disse...

exatamente..enquanto isso na republica bovina.....
Cade o Simon??