Destaques

segunda-feira, julho 09, 2007

Será que dá pra arriscar o campeão?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Já havia sido escrito nesse Futepoca que antes da décima rodada do Campeonato Brasileiro não valia nem palpite pra artilheiro. Outros, mais apressadinhos, queriam se adiantar e fazer papel de pitonisa, o que é natural em qualquer roda de conversa futebolística e os bolões estão aí pra provar isso. Mas será que dá pra arriscar alguma coisa no Brasileirão desse ano agora?

A essa altura, em 2006, o campeonato parava para a Copa do Mundo. Algumas equipes tiveram tempo para se preparar e sair da lama; já para outras, o recesso fez mal e acabou resultando em uma espiral de decadência. No primeiro exemplo temos o Palmeiras. O Alviverde amargava a penúltima posição com quatro pontos e depois engataria uma série de bons resultados que assegurariam a distância da incômoda zona de rebaixamento.

Já o líder era o Cruzeiro, com 21 pontos, junto com o Internacional mas levando vantagem nos critérios de desempate. Após a ressaca da Copa da Alemanha, a equipe azul não reencontrou o futebol do início e acabaria o Brasileirão em décimo lugar. Em tempo: hoje a liderança do Botafogo é mais folgada - cinco pontos sobre o segundo colocado.

Na ponta da tabela também estavam o São Paulo com 20 pontos e o Fluminense com 19. O time paulista se tornaria campeão enquanto o carioca agonizaria até o fim para se livrar do rebaixamento. Aliás, das equipes que freqüentavam a temida zona fantasma, apenas o Santa Cruz, com 3 pontos na ocasião, e o Fortaleza, com 10, seguiram em sua sina até consumirem a queda. Corinthians, com 9 pontos, e Palmeiras se livraram da degola. Outros dois paulistas, Ponte Preta, então com 14, e São Caetano que, com 11 (já por perto), tomaram seus lugares. Já o Cruzeiro e o Flu cederiam lugar a Grêmio, 15, e Santos, 18.

Isso quer dizer alguma coisa? Grosso modo, pode-se inferir, com base naquela situação, uma tese obviamente calcada no rigor estatístico típico de papo de balcão de bar. Metade dos times vai manter seu rendimento e ficar próximo de onde está e outra metade vai mudar sua performance, pro bem e pro mal, e sair da zona em que se encontra atualmente.

E a prova cabal de que nem palpite pra artilheiro vale é que Vagner, do Cruzeiro e que depois iria para o exterior, ponteava o rol de goleadores com 8 gols, seguido de Dodô (Botafogo) e Schwenk (Figueirense), com 6 cada. Aquele que seria o artilheiro do Brasileirão, Souza (Goiás), tinha só três gols e estava junto com o pouco saudoso Rodrigo Tiuí (Santos). Não é nada, não é nada, é um alento pra quem está com seu time nas últimas e também pros desesperados que já prevêem sua derrota em bolões da vida.

7 comentários:

Fura Olho disse...

Mole...

Fluminense Campeão...

Seguido de perto pelo Santos...

Edu Maretti disse...

muito difícil responder a pergunta, Glauco.
A velha tática da exclusão pode ser útil: dá pra dizer quem não será campeão com certeza:
Paraná,Vasco, Figueirense, Fluminense, Cruzeiro, Corinthians, Atlético-MG, Inter, Atlético-PR,Sport,Juventude,Flamengo, América-RN e Náutico-PE.

Sendo assim, o campeão será um desses seis times: Botafogo,Goiás,São Paulo,Palmeiras,Grêmio e Santos.

Esta lista é grande devido ao nível baixíssimo do campeonato, por isso acho que as chances entre esses times se equivalem no momento, com leve vantagem para o Botafogo (pela atual posição), Grêmio (argh, mas pela estabilidade do Mano Menezes e pelo futebol horrível mas competitivo) e São Paulo (pelo óbvio).
Goiás, Palmeiras e Santos correm por fora e dependem muito de muitos fatores que seria longo enumerar.

PS: se o Santos for campeão (o que não acho tão dífícil assim), vou ter que imprimir aquele post "fora luxemburgo", temperar com azeite e englir.

Fê Rossini disse...

Cara, para ser sincero, eu não acredito muito no Botafogo, acho que se trata de um belo dum cavalo paraguaio, mas também não apostaria minhas fichas nem em São Paulo nem em Goiás. Eu tô achando que esse campeonato vai trazer alguma surpresa, tipo um Paraná da vida sendo campeão.

Antes do campeonato eu tinha a sensação que o Atlético-Mg tinha chances, mas ele está perdendo muitos pontos (eu não acho o time ruim, acho que tá dando td errado).

E o meu coringão pelo visto vai lutar pra não cair mesmo.

Sr. Vizzatti disse...

Eu aposto fervorosamente no meu Glorioso "Parmeras"...
Eita Porcão, só me dá alegrias ultimamente, e acredito que minha felicidade está sendo a infelicidade de muitos.
E só de não ouvir gritos fervorosos da pseudo-maior torcida do Brasil já me é um grande alívio.
Vai ser Porcão na cabeça!!!

fredi disse...

Maretti, qual a lógica de o Santos ter chance e o Galo nenhuma a não ser sua torcida? Ou é confiança no Luxemburgo que vcs tanto criticam.

Se quiserem trocar o Luxemburgo pelo Zetti a gente aceita na hora.

Edu Maretti disse...

Frédi, a lógica é que não dá pra comparar, PELO MENOS nos primeiros sete anos do século 20, o Santos com o Atlético/MG. Basta ver o retrospecto de ambos os times de 2001 a 2007. E até mesmo – entre vários outros fatores – pelo fato de não termos Zetti, mas Luxemburgo, que os santistas criticamos sim, mas, no meu caso, mais por sua conduta muito discutível e obscura do que pela sua competência, mais do que comprovada. O Brasileirão está mesmo ruim, e eu não vejo um favorito. Acho de fato que o Santos pode até chegar lá (embora seja difícil), mas o Galo é definitivamente impossível, em 2007.

Edu Maretti disse...

ops, leia-se século 21 acima...