Destaques

segunda-feira, agosto 10, 2009

Agora é o Mano quem está dizendo: não dá mais

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Em entrevista após a derrota de 1 a 0 pro Flamengo, Mano Menezes vaticionou oficialmente a impossibilidade de lutar pelo título do Brasileirão 2009 (entrevista à Agência Estado, divulgada no Yahoo). É o tipo da coisa que não se faz. Afinal, sabe-se lá o que a providência reserva para o segundo turno. E dar por perdido um campeonato quando nem acabou a primeira fase é no mínimo injetar uma dose extra de desânimo num já abalado elenco. Não que eu não concorde com ele, como disse anteriormente, mas, do ponto de vista da relação direta com o elenco, essa fala de Mano pode ser precipitada e contraproducente. O mesmo no que diz respeito à torcida.

Entretanto, o recado principal é evidentemente pra diretoria. Mano demonstra a sensatez que tem sido sua marca: "É preciso cobrar uma remontagem com mais rapidez, estamos meio lentos. Para mostrar não só para os torcedores, como para os jogadores que estão atuando, para que fiquem mais tranquilos". Ele parece estar tranquilo, sabe do potencial dos jogadores, e sabe também que o time que ele montou tinha como uma de suas principais características a tranquilidade.

Com mil gaviões, até quando vamos ter que esperar pelas tais contratações??? Não faço questão de Riquelme nem outro gênio da bola, me conformaria com bons jogadores para recolocar o time de pé de imediato e, até o fim do ano, jogando bem de verdade.

Quanto à partida, mais um jogo difícil de ver. O Corinthians voltou a ser um time que se defende bem, mas que tem uma dificuldade enorme de criar jogadas, como era no início do ano, quando Douglas estava desinspirado. Parece que entramos em campo visando o 0 a 0. Foi assim contra o Náutico (meu Deus!) – em que o gol saiu de um pênalti dos mais bobos –, foi assim contra o Flamengo – que saiu de uma falha não propriamente da zaga, mas de um mané que sobrou lá atrás na lateral esquerda (o Bruno Bertucci) e deu condição ao ataque rubronegro que, de outro modo, estaria totalmente impedido. Quer dizer, a linha da zaga do Timão estava funcionando, foram uns três impedimentos seguidos do ataque do Flamengo. No lance do gol, funcionou igual, mas tinha o mané lá dando condição. Azar? Também, mas principalmente um erro.



Mas o mais grave é a total incapacidade do time de criar jogadas de gol. No meio campo, os dois times se igualaram, muitos erros, alguns acertos, e nenhum jogador realmente criativo, capaz de armar jogadas, organizar o jogo, segurar a posse de bola. Os lances de maior perigo nunca parecem tão venenosos assim, para os dois lados. Quanto ao Corinthians, minha impressão é que o time sob o comando de Mano Menezes, pra jogar bem, tem que estar inteiro redondo, senão não rende nada. E com o trauma de segunda divisão que estamos, todo mundo, que até agora há pouco achava que dava pra disputar o título, agora começa a recear o rebaixamento. Não acho que é pra tanto. Mas a moçada tem que entender que o momento de brilho já passou, acabou, está enterrado no primeiro semestre, agora tem que pôr a bola no chão e jogar com bravura pra ganhar com muito suor.


Edu Gaspar

É sem dúvida um bom jogador, que deve ir ganhando ritmo com as partidas. Há no entanto uma diferença brutal com relação ao Cristian. Este estava com muita fome de bola, jogando com uma garra brutal, e muito a fim de ganhar os jogos, os campeonatos. O Edu é um jogador mais velho, veio para acalmar a vida depois da carreira na Europa, e embora jogue com empenho não tem nem a metade da energia que o garoto que o precedeu punha nos jogos. Talvez por isso ele ainda seja a ausência mais sentida, mesmo tendo sido substituído pelo jogador que melhor entrou, junto com o Jucilei.

11 comentários:

Fabricio disse...

Tipo de coisa para falar internamente. Concordo que o time precisa mesmo se reformular rapidamente, mas ele exagerou dizendo isso abertamente.

Imagina se aparece uma proposta para alguém. Com o próprio técnico dizendo que o barco está afundando, ninguém vai pensar duas vezes antes de sair.

O Mano é o tipo de treinador que se deixa levar demais pelo momento. Se perde nas entrevistas muito facilmente e a culpa acaba caindo nos jogadores.

eduardo disse...

cara, esse blog é sensacional, e essa tal de saidera, foi demais de bem bolado!
parabéns pelos posts e pela saidera!
um abraço!

Nicolau disse...

Pois é, eu também não gostei da fala do Mano. Joga a culpa nos jogadores e pode atrapalhar a retomada do time.
Sobre o jogo, falta de criatividade no meio é conseqüência da escalação de quatro volantes no meio campo. Elias precisará de tempo para se adaptar à nova-velha função, se é que se adaptará.
Outro ponto negativo foi a falta de velocidade na saída de bola. O time matou todos os contra-ataques. Para jogar na retranca parreirística montada por Mano, com posse de bola e toques de lado, é preciso pelo menos acertar contra-ataques.
Outro problema foi o ataque, especialmente Dentinho. O Flamengo estava fechado e as tabelas não saíam. Era o momento em que o atacante habilidoso precisava aparecer. Não foi o caso.

Maurício disse...

E o Mano tá com uma tranquilidade e autoconfiança perigosa... Se sente intocável, mas fica vacilando desse jeito prele ver. A pressão prele sair logo começa. E o problema é quem vai estar desempregado no início do ano que vem... Citando Regina Duarte, a eterna, eu tenho medo.

Maurício disse...

Opa Eduardo, valeu!

Cruzeirense apaixonado disse...

Enquanto o Mano joga a tolha, a torcida azul e branca - a maior de Minas - comemora o triunfo. Que venha o Santos!

Anônimo disse...

Sou funcionário de um jornal e estou trabalhando com seleção de pessoas para escrever nesse jornal , e eu acho que você tem condições de fazer o teste.
Me add no MSN para conversamos melhor : futebolnaweb.contato@yahoo.com.br

Anselmo disse...

grande mano menezes... olha que daqui a pouco vai ter torcedor adversário ensaiando um "volta dualib", hein?

Maurício disse...

Enquanto for torcedor adversário, tudo bem.

Leandro disse...

Como disse um amigo meu no almoço de sexta-feira, depois da patética derrota para o fraco Náutico: "Somos uns trouxas em acompanhar o futebol de hoje em dia".
E p/ confirmar isso, antes do jogo de ontem passaram os gols e alguns lances de Corinthians 4x1 Flamengo pelas quartas-de-final do Br/84, num Morumbi completamente tomado, e com gente do naipe de Casagrande, Júnior, Zico, Leandro, Sócrates, Andrade, Leão, Wladimir, Ataliba, Carlos, Raul... Caras que hoje estariam nas "Zoropa" com 14 anos de idade.
Sem dúvida. Meu amigo do almoço de sexta tem carradas de razão. Comparando com não faz muito tempo, somos uns otários perdendo nosso tempo e nosso dinheiro, comentando em blogues e fóruns, comprando ingressos e material esportivo, assinando TV fechada, etc., para, no final, fazer a fortuna de dirigentes e empresários dinheiristas e de times europeus que levem embora nossos craques e até os boleiros medíocres.
Em três semanas a diretoria corinthiana e o empresário Carlo$ Leite fizeram de um time postulante ao título um candidatíssimo à Segundona.
Nessas horas, me sinto um otário perdendo meu tempo com o futebol de hoje em dia. Sei que tenho sido repetitivo nisso, mas não tem como deixar de bater nesta tecla.
Ainda bem que este blogue tem outros dois temas a explorar para a hipótese de uma massiva desilusão daqueles que, como eu, gostam muito deste jogo mas não conseguem entender e aceitar com candura bovina as mudanças trazidas pela "globarbarização", usando um neologismo cunhado pelo também corinthiano Tom Zé.

Maurício disse...

Pelamordedeus, Leandro, para de falar em Segundona! O Corinthians nem é tão ruim assim – pelo menos comparativamente aos outros.

Mas concordo absolutamente quanto a todo o resto.