Destaques

domingo, março 08, 2009

Aos 47, o empate de Ronaldo deixou sabor de derrota

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Se a autoria fosse de um corintiano, o título seria o oposto. Palmeiras e Corinthians empataram em Presidente Prudente em 1 a 1. O alviverde saiu na frente no início do segundo tempo, mas cedeu a igualdade aos 47 do segundo tempo, para delírio de Ronaldo, o com sobrepeso.

A piada pronta ficou com o desabamento do alambrado que não resistiu ao peso do o camisa nove alvinegro pendurado para comemorar. Piada para qualquer um que não seja da Polícia Militar, é claro. O próprio atleta considerou irresponsável a atitude que lhe rendeu um cartão amarelo.



O jogo foi duro e truncado na primeira etapa. Nada da cordialidade da entrada dos times juntos em campo ou das mensagens de paz que tentavam deixar o jogo menos tenso.

Com Diego Souza de atacante ao lado de Keirrison, o Palmeiras teve dificuldades. O nove ficou isolado. Mas deu um passe mandraque para o arqueiro Felipe fazer uma lambança. Ele errou o tempo da bola e deixou sobrar para Diego Souza, que dominou, driblou (e o goleiro derrapou mais ainda) e mandou pro gol.

Do outro lado, Ronaldo só entrou aos 15 do segundo tempo. Novamente o operador de VT se preocupava mais com o atleta do que com o jogo. Desta vez, acertou. Além de tentar chutes (um que lascou a trave), o Fenômeno marcou o dele e salvou o vice-líder da derrota. Mas eu prefiro não saber quem comeu quem.

Como todo clássico, lances polêmicos a rodo. Do pênalti em Diegou Souza aos 3 do primeiro tempo à cotovelada de Chicão em escanteio – depois de um senhor agarrão.

Ambos os times criaram seus lances, mas o fato de o empate ter saído no fim deu sabor de derrota para o resultado. Ainda que o líder não tenha demonstrado superioridade em campo. É, tem outros Ronaldos no mundo.

22 comentários:

Maurício disse...

Não digo sabor de vitória, mas no mínimo de alívio.
E aos lances polêmicos, do que eu vi (só pude ver o segundo tempo), pode acrescentar a travada que deram no Ronaldo na entrada da área, que seria uma chance de perigo ao gol alvi-verde.

Mohammad Severino disse...

Eu estava vedo exatamente agora o folclórico programa "Mesa Redonda", da TV Gazeta de SP, e é impressionante como procuram desculpa esfarrapada depois de queimarem a língua.
O Sr. Flávio Prado, sãopaulino enrustido que acha o Boca Juniors o máximo em se tratando de títulos internacionais, mesmo sem saber explicar como é que ficou de 1978 a 2000 sem ganhar nada equanto o River ganhou 86 e 96, agora põe a culpa exclusicamente na defesa do Palmeiras depois de dizer por mais de uma semana que, se jogasse Gordômeno, o Corinthians atuaria com dez.
Agora que a coisa aconteceu, ele não vê nenhum mérito na bola na trave, no cruzamento que quase acaba em gol, e muito menos no gol do Ronaldo.
Para o rapaz da Gazeta e da Rádio Jovem Pam, tudo é exclusivamente culpa dos defensores do Palestra, e quem derrubou as grades sozinho foi do Gordômeno, apesar das imagens que agora rodam o mundo mostrarem dezenas de torcedores e de outros jogadores do Corinthians subindo ali ao mesmo tempo.

Maurício disse...

Perfeitamente de acordo, Muhammed, o Ronaldo mostrou que, mesmo gordo, é o Ronaldo, e está bem acima do nível do resto da moçada. Cada vez que tocou na bola criou alguma coisa, e mesmo pesadão conseguiu deixar pra trás a zaga parmerista em umas duas jogadas, uma delas sendo aquela do cruzamento que você mencionou.

mas que esse alambrado ter caído é piada pronta, isso ninguém pode negar.

priscylla disse...

eh Marcão, fazendo das suas, ficou perdido no gol do gordito.

Marcão disse...

Fiquei sabendo dessas histórias (gol do Ronaldo, queda do alambrado) agora pela manhã. E só acreditei quando vi um jornal na banca e comprovei aqui pelo Futepoca. Impressionante.

Jogando Por Música disse...

Ante de fazer meu comentário quero deixar claro que não estou defendendo o Chicão. Ele deu sim a cotovelada e pode/devereia até ser suspenso. Porém aquele agarrão foi um absurdo. Eu tenho certeza que faria a mesma coisa se fosse comigo. Será que não existe um jeito de coibir esse tipo de jogada? Em todos os jogos de todos os times vemos em escanteios ou faltas esse tipo de coisa acontecendo e raramente é marcada alguma infração. E a maioria das vezes marca-se falta de ataque. Acho que deveria existir um jeito de punir o zagueiro e o atacante que fazem isso. Sei lá, atribuir um cartão amarelo mesmo depois do jogo após análise das imagens. Para quem acompanha futebol sabe que isso é algo que vem crescendo. Não me lembro dos jogos do começo da década de 90 ter esse tipo de agarrão na área.

Glauco disse...

Pra alegar "legítima defesa", a reação tem que ser proporcional à ação, e uma cotovelada é bem pior que um agarrão na camisa...

Fabricio disse...

Até agora não entendi tanta reclamação da travada de frente pra área.

Um canal (acho que a SporTV) tinha uma câmera bem de frente pro lance. O Pierre dá um toque de bico na bola e o Ronaldo dobra a perna em seguida. Pura malandragem. E pior é que estão reclamando como se isso fosse se transformar em gol. Houve outra falta mais perto ainda alguns minutos depois e a bola veio quase aqui na piscina do Palestra. Quando se tinha Neto e Marcelinho, tudo bem, mas agora com Chicão e Cia? Por favor!

Thomas disse...

A melhor coisa que o Inter fez esse ano, foi mandar o Marcão embora...

Brunna disse...

Palhaçada mesmo os comentários. "Insensível este juiz é um insensível", revoltado gritava o comentarista da Globo, após o cartão amarelo em Ronaldo.
ou...
“Deus existe, deus existe”, pela Band...
Vale tbm comentar a proibição de Ronaldo conversar com a Band.... Apesar dos jornalistas chegarem primeiro nele, após o jogo, o “fenômeno” disso que não ia dar entrevista porque estava sendo empurrado.
Ao ver o microfone da globo o sorriso foi aberto e o rapaz começou a desembuchar...
Como falaram por ai o problema mesmo era o microfone amarelinho

Maurício disse...

Se ele não quebrar logo, preparem-se pois num campeonato capenga como o Paulista o Ronaldo é uma força que realmente pesa na balança.
E no Brasileiro idem.

Sobre o Chicão, se continuar como está, vai fazer sua história no clube, e não com o cotovelo.

Guilherme L. Cunha disse...

Pô, tá faltando corinthiano nesse futepoca, cadê o Nicolau??!!!! Depois do maior acontecimento no futebol brasileiro dos últimos anos, vocês me colocam um texto sem-vergonha desses, do Anselmo chorando. A não ser que vocês escalam pra falar do Ronaldo, alguém que também entenda de peso, como o Anselmo. Até o Post do Rovái tá mais emocionante e sincero!!

Jogando Por Música disse...

Glauco...como disse não estou defendendo, mas temos que convir que não foi um simples agarrão na camisa. O cara tava abraçando por trás e não era de maneira "amigável". PArecia mais um agarrão por trás de um presidiário...

Anselmo disse...

Guilherme,
os corintianos do Futepoca que se manifestem.

acontecimento maior do que o gol do ronaldo de ontem foi o rebaixamento do Corinthians em 2007.

falando nisso, muito preocupante para a instituição corintiana a reação depois dos clássicos até aqui. contra os reservas do São Paulo, o técnico, o time e a torcida acharam bom o empate. Contra o Palmeiras, a igualdade achada no último minuto tá sendo comemorado como título. Isso de considerar como uma glória um empate contra time grande é coisa de clube que se apequenou. o que será que aconteceu?

Nicolau disse...

Atendendo a pedidos, botei um post sobre o clássico. E nele, vc vera, até concordo com vc, Anselmo, com o adendo de que o Palmeiras também entrou pra não perder e só achou o gol por presente do Felipe. Cabe ponderar também que a emoção de ver Ronaldo jogar bem e marcar é a de quem estava ansioso pra ver a maior aposta do seu time nesse momento importante de sua história (depois do rebaixamento, como vc faz questão de lembrar, o que vc bem sabe que é difícil, levou anos até o Palmeiras botar medo de novo nos rivais) mostrar que pode ser decisivo.

Fabrício, sobre a tal falta, não foi mesmo, como não foi o suposto penalti em Diego Souza. Sobre reclamações exageradas, veja seu treinador, que saiu boquejando de uma falta lateral quase dois minutos antes do escanteio que originou o gol de empate. Mas o choro é livre, dos dois lados.

Brunna, tem razão, até eu acho chato o comportamento dos comentaristas...

Anselmo disse...

vc diz que "levou anos até o Palmeiras botar medo de novo nos rivais".

Será?

No ano em que o Palmeiras subiu, 2004, não jogou contra o Corinthians nem contra o São Paulo no campeonato paulista porque eram chaves separadas (mas o palmeiras se classificou para a fase final, enquanto o corinthians ficou em penúltimo em seu grupo).

O primeiro clássico contra o Corinthians depois da ascensão alviverde foi no brasileiro de 2004, no primeiro turno: 4 a 0 pro Palmeiras. Contra o Santos no nacional foi o mesmo placar no primeiro turno e 2 a 1 sobre o são paulo. Clássico é clássico. Ganha-se uns, perdem-se outros...

O parâmetro que você propos, de por medo, está resolvido. O time ainda se classificaria para a Libertadores, cinco pontos à frente do quinto colocado, Corinthians. Então o "tanto tempo" não se aplica ao ano seguinte, né? Então, neste caso, a questão não era a série B.

E mantenho minha preocupação com a aceitação, por parte da torcida, de resultados que não são bons.

Sobre minha provocação barata de dizer que o corinthians se apequenou, considero que se a comemoração corintiana tivesse ocorrido apenas na partida contra o Palmeiras, eu aceitaria sua explicação sobre a importância do ronaldo. eu só coloquei na perspectiva os dois empates comemorados em dois clássicos... continuo achando estranha a reação de parte da torcida e do técnico.

Leandro disse...

O Corinthians passou a colocar medo nos rivais ainda no ano em que disputou a Série B, pois foi finalista da Copa do Brasil e só não a levou pelos motivos que todos conhecem.
Já o Palmeiras, em 2003 foi eliminado pelo Vitória de forma vexaminosa em pleno Palestra Itália.

Fabricio disse...

PS. O Palmeiras não foi eliminado no Palestra, mas sim na Bahia. Levou a cassetada história de 7x2 aqui, mas lá ganhou a partida por 3x1 e perdeu no saldo.

Agora me diz, qual a diferença de perder na final ou nas primeiras fases?

Ia escrever exatamente o que o Anselmo falou. O time do corinthians falava tanto que queria pegar o Palmeiras pra mostrar que era time da Série B e tal (dito pelos próprios jogadores) mas na hora do vamos ver, levou 4x0 e foi pouco. Estava nesse jogo e o Munoz perdeu dois gols na cara quando o placar era 3x0.

Fabricio disse...

Quanto ao lance da reclamação, a diferença é que a falta no Armero foi.

Nicolau disse...

Eu acho que não foi falta no Armero nem no Gordo. Mas enfim, como já disse, o choro é livre para os dois lados.

Catedraldeluz disse...

Anselmo:

Não sei se a torcida alvinegra desconhecia o fato - afinal, desde 6.ª feira p.p. não assistem outra coisa, a não ser ... mas nos últimos três jogos entre os rivais foram três vitórias palmeirenses - 3X0, 1X0 e 1X0.

Não sei se foram avisados sobre quem é o atual líder do campeonato ou o melhor ataque, ou o artilheiro - e não é ele!!!

Aliás, o que eles sabem é que empataram o clássico.

E que o marketing é a alma do negócio.

Fabricio disse...

Não é choro, pelo menos eu não acho que a arbitragem influenciou em nada.

O problema é esse empate em um jogo na mão. Era só ter matado o jogo nas oportunidades que teve.

E pra quem falou aí em cima, foram 4 vitórias do Palmeiras nos últimos 5 jogos: 3x0, 1x0, 1x0 e 1x0. Maior jejum de gols da história do derby, quebrado pelo gol de Ronaldo.