Destaques

quinta-feira, março 12, 2009

A Globo ama o Ronaldo

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Dizem por aí que a imprensa é corintiana. Eu sempre achei que isso só procede no quesito "excesso de pautas", porque acham que tudo o que tem a ver com o Corinthians vende. Então inventam crises que não existem, geram e ampliam outras crises, programam jogos que talvez não merecessem ir à TV. Mas minha impressão de torcedor é que gostam mais de falar mal do que bem do Timão. Ao contrário do que acontece com o São Paulo, de quem a mídia gosta de falar bem.

A chegada de Ronaldo inaugura uma nova fase, como já apontaram aqui no Futepoca e muita gente internet afora. Começou por um inusitado e insistente interesse pelo banco de reservas e – inovação – a narração esportiva do que acontece no banco. "Ronaldo sorri", "Ronaldo reclama, não concordou com a marcação do juiz", "Ronaldo está muito atento no jogo" e todas essas coisas que o Brasil tanto quer saber.

Agora que ele entrou em campo... O "carinho" que a Globo dedica ao Ronaldo é todo especial. Ontem, Palmeiras e Ituano na telinha, empate que ficou barato aos reservas do Palestra, Ronaldo se infiltrava na transmissão a cada 5 minutos e a fala do Cleber Machado se enchia de afeto. "Olha só esse lance do Ronaldo", "Ele parece que está bem, será que ele fica 60 minutos?".

Ainda no primeiro tempo, Ronaldo perdeu um gol na cara, fez até aquela careta, puxando os cantos da boca e mostrando a dentadura, como quem diz "olha a merda que eu fiz". Cleber, de sua tribuna, não foi tão duro como queria o atacante: "É, essa aí, olha, dá até pra dizer que ele perdeu". Mas o carinho pelo craque é tamanho, mas tamanho, que começa a contaminar a relação com o clube como um todo. Em seguida, numa sequência de boas defesas do Felipe, o narrador nem se abalou: "Olha só, deram algum trabalho ao goleiro Felipe" – parecia que nada podia de fato ameaçar o Corinthians, afinal, tem em sua linha o ungido, o abençoado, ou ainda o "guerreiro", como querem alguns.

Mas Felipe alterna grandes defesas com grandes falhas, e o São Caetano chegou ao gol numa saída um tanto quanto bizonha do arqueiro. Na narração, o São Caetano chegou "neutramente" ao gol numa bola cruzada. Mas quem se interessa? O que importa é o drible que o Ronaldo vai dar daqui a pouco, e os muitos gols que ele vai fazer nessa goleada certa. Ou então, se esse bravo guerreiro vai suportar ficar ali no jogo, se vai atuar por 60, 70, 73, 87, ou 90 minutos. A cada momento, queremos muito saber se o Ronaldo demonstra cansaço, se aparenta sentir-se bem, se está feliz, se não tem nada doendo...

Agora, pra pôr o link aí embaixo, que eu tirei do Globo.com, não são os melhores momentos do jogo, mas o gol e outros lances do Ronaldo.



Se ao contratar o Fenômeno, Andrés Sanches pensou no marketing, acertou. O Corinthians é agora notícia no mundo, pelos pés do atacante.

E acertou também pelo futebol, porque o cara é craque mesmo. Enquanto durar o joelho, vai fazer muitos gols para orgulhar a Fiel Torcida.

E pra Globo já é um dos maiores eventos da história do Corinthians. There's only one Ronaldo!

17 comentários:

Sartorato disse...

Esse sim, o Ronaldo goleiro, é que era ídolo. Nunca vou me perdoar por ter tido a chance de comprar um disco do "Ronaldo e os Impedidos" e não ter desembolsado a merreca.

Glauco disse...

Acho importante a frase final: "um dos maiores eventos da história do Corinthians". Não "um dos maiores eventos da história do futebol brasileiro".

Nicolau disse...

Sobre o marketing, o Sanches voltou a anunciar que vai fechar "o maior patrocínio do futebol brasileiro". Mas só na semana que vem. Por que tanta vontade de ser desmentido? Fecha os negócios e anuncia de uma vez.

Maurício disse...

Ronaldo e os Impedidos, grande lembrança. A faixa de lançamento era uma música de clara inspiração etílica, tipo o Elvis de ressaca pensando na mina que tá ligando pra ele sem saber do que se trata. Lembra?


O Nome Dela

Eu não me lembro nem do lugar
Ela me diz que eu paguei o jantar
Ela me diz que eu prometi o mundo
Eu não me lembro de nenhum segundo

Fiz mil promessas todas sinceras
Amor eterno eu ia dar pra ela
Falei de amor e de paixão
Filhos, casório, dividir colchão

Owow hei eu não sei
Qual o nome dela
Eu não sei ei ei
O nome dela
Eu não sei
Qual o nome dela

Glauco disse...

Quem quiser ouvir a música (legalzinha, vai), tá aqui .

Nicolau disse...

Um clássico!

Anselmo disse...

dá pra imaginar os comentários das cenas deploráveis do Ronaldo.

"Olha lá, o Ronaldo deu uma coçadela na virilha..." "O Fenômeno mandou uma escarrada que passou a menos de um palmo do pé do zagueiro... Seria a primeira catarrada do jogador a atingir a chuteira de uma adversário"... E o repórter de campo: "o Ronaldo saiu, no intervalo, e não quis falar. Mas, de longe, deu pra sentir que o desodorante dele tava vencido".

e por aí vai.

Ainda bem que tem autocensura.

Maurício disse...

auto-o-quê?

Marcão disse...

Eu me lembro do jogo em que o Ronaldo goleiro se consagrou (só não lembro se foi sua estreia como profissional, mas acho que pode ser). Foi um clássico contra o São Paulo em que o goleiro titular, Carlos, se contundiu na véspera. O Ronaldo catou um pênalti batido pelo Darío Pereyra e o Corinthians venceu o jogo. Carlos se aposentou.

Luis Henrique disse...

Pois é, e não só no futebol mas em qualquer setor, a glória é toda individual, ele faz o grupo; no gol por exemplo a transmissão poderia ressaltar como o Ronaldo preparou toda a jogada, ao levantar o braço pedindo o passe.

Fabricio disse...

Fiquem atentos ao novo patrocinador do clube. Se for de empresa nacional, quero ver só se os reprensentantes da empresa vão divulgar o valor ou confirmar o valor que o Andres vai divulgar.

Se for de fora, podem duvidar. NENHUMA empresa fecharia um contrato de patrocínio com um valor alto durante uma crise como esta. Lembrem-se que as empresas que cogitaram estampar a marca na camisa do time este ano mal quiseram continuar negociação depoiis do Andrés dizer que o piso era o valor pago aos rivais.

Na minha opinião ele perdeu o tempo e se deu mal.

Leandro disse...

O problema é que Ronaldo não tem companheiros à altura e que permitam termos a certeza de um ano exitoso.
Estou há meses tentando entender como é que o bizarro zagueiro William é titular absoluto e até capitão do time. Certamente, coisa do (medroso) técnico gaúcho Mano Meneses.
Souza no banco é uma imagem desoladora quando se imagina que ele é opção para entrar no lugar de alguém, inclusive do próprio Ronaldo, e se Elias, Chicão e Jorge Henrique têm apresentado um nível bom, Otacílio Neto, Douglas, Felipe e André Santos são muito irregulares e chegam a ser irritantes.
Quanto às tentativas de ligar o time à Rede Bobo, ou à imprensa, em geral, já conhecemos estas de outros carnavais. Com Excel Econômico, Hicks Muse, MSI ou seja lá quem for, sempre vão usar deste discurso no intuito de pavimentar futuras alegações de favorecimento nos bastidores, jogos arrumados, apitos amigos e afins.

Sartorato disse...

O amigo Leandro vai me desculpar, mas a imagem do Souza no banco é um alívio. A imagem dele fora do Corinthians seria uma salvação. E pensar que a grana que trouxe esse poste pro Timão poderia ter sido usada pra segurar o Herrera...

alessandro disse...

Simples, boicote à Globo.

felipe disse...

corintianu é um bixo xato pra carai!!!!!!!!!!!!

Ruim mess é mora em minas e t q fik venu noticia só sobre são paulo palmeiras e corinthians!!!!

Odeio time carioca e paulista!!!!!

GALOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Anônimo disse...

cambada de invejoso Bambi,porco e ainda apareceu um Galo kkkkkkkkkkk da pra rir que lixo nao ganha nem do Cuzeiro

Leandro disse...

Acho que a Globo valoriza nao sei porque tanto alguns times , como o Corintians e Flamengo , acho que o fato de ter as maiores torcidas tem um fundamento de marketing pra isso , pois mesmo o Sao Paulo que é o time mais vencedor dos ultimos anos , nao tem um destaque na imprensa , é incrível ...alem disso tem o Internacional , que ganha tudo , Cruzeiro , Gremio , grandes times que sao ofuscados por esses interesses.... é lamentável .