Destaques

sábado, maio 10, 2008

Mandantes dão as cartas na estréia da Série B

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Jef Silva comemora seu gol pelo Avaí (Globoesporte.com)

Ainda com uma partida a ser jogada às 20h30 de hoje - o confronto entre ABC(RN) e Vila Nova(GO) -, a Série B começou mal para os visitantes. Das nove partidas disputadas, apenas em uma ocasião o mandante saiu derrotado. E foi o Paraná, vaiado pela torcida, que perdeu por 1 a 0 para o Avaí. O time paranaense de Paulo Bonamigo ficou com a bola mais tempo sob seu domínio, mas foi a equipe de Santa Catarina que teve as melhores chances e poderia inclusive ter marcado mais gols. O Tricolor, rebaixado em 2007, parece ainda não ter encontrado a fórmula para voltar à elite e a estréia na Vila Capanema acende um baita sinal amarelo para o clube.

Nas demais oito partidas, dois empates e seis vitórias de quem jogou em casa. O convidado de luxo da Segundona, o Corinthians, teve uma estréia relativamente tranqüila diante dos 35 mil torcedores que o prestigiaram no Pacaembu. Embora tenha levado um susto a um minuto com o gol do clube alagoano, empatou em seguida e dominou na maior parte do tempo. Mostrou deficiências, como a marcação na bola parada, mas o 3 a 2 acena para uma possível evolução no setor ofensivo, o mais carente, com Eduardo Ramos e Douglas, ainda desentrosados. No mais, os corintianos do blogue podem comentar mais detalhadamente a peleja.

O adversário do Timão na Copa do Brasil, o São Caetano, sapecou um 3 a 0 na vice-campeã paulista Ponte Preta. Os gols foram marcados na segunda etapa e a partida foi em Santo André, já que o Anacleto Campanella continua em reformas. A vitória garantiu a liderança da Série B ao Azulão, não que isso valha muito na primeira rodada. Outro que teve o mando mas não jogou em sua casa foi o Bahia. Sem torcida, por conta da punição recebida em função da tragédia ocorrida na interditada Fonte Nova em 2007, o Tricolor de Paulo Comelli não passou de um empate contra o Fortaleza na Jóia da Princesa, em Feira de Santana.

Dimba (aquele mesmo, ex-Goiás Botafogo e Flamengo) do Brasiliense, Glaydson (São Caetano) e Herrera (Corinthians) lideram a artilharia com dois gols. Outros resultados: Criciúma 1 X 0 América (RN), Ceará 2 X 1 Juventude, Brasiliense 2 X 2 Marília, Bragantino 1 X 0 Santo André, Barueri 2 X 0 Gama.

3 comentários:

Leandro disse...

O Corinthians começou a Série "B" de 2008 da mesma forma que terminou a Série "A" de 2007: sendo prejudicado por erros de arbitragem.
Mas, ao contrário do que ocorreu no Paulistão deste ano, o time vem mostrando poder de reação nos últimos jogos. Bom sinal para uma equipe que ainda precisa evoluir muito, mas muito mesmo.

Benedito disse...

Os dois gols do CRB foram irregulares. No primeiro, havia impedimento. E o segundo saiu de uma falta inexistente. Mas o Corinthians também poderia ter goleado pelas oportunidades de chance criadas. O setor ofensivo melhorou com a entrada do Douglas, que mostrou conhecer a posição. Foi um jogo bom de ver, com lances bonitos, toques de calcanhar, chances de gol. O Mano está testando uma formação nova no meio de campo que parece boa para o ataque, mas que deixa a marcação fraca. Só não pode colocar o Perdidão. Depois que ele entrou, o rendimento do time caiu. E o Herrera, hem??? Quatro gols em dois jogos. Só alegria.

Nicolau disse...

O Corinthians jogou bem, o Douglas entrou bem no time. O Eduardo Ramos de segundo volante talvez seja aberto demais, não sei. Talvez o Elias tenha mais o estilo de marcação que a função pede, talvez o Alessandro volte por ali. Os gols ainda saíram de bolas cruzadas, mas rolaram outros bons lances, principalmente com tabelas entre André Santos, Douglas e Dentinho. E, pelo entrosamento, a tendência é melhorar. Sobre os gols tomados, é questão de treinamento, creio, e de fazer menos faltas laterais. E, cáro, de naõ colocar mais o Perdigão no time. Entrou só pra fazer aquela falta, mais nada. Um dado é que, como destacou o Glauco na matéria, só deu mandante na Série B. Vamos ver como o Timão se sai contra o Gama, em Brasília.
Sobre o Herrera, impressionante o que uma mudança de posicionamento não faz. Como segundo atacante, o cara não tem habilidade e perde jogada atrás de jogada. Dentro da área, com boa noção de posicionamento, pode ser considerado um centroavante que se movimenta e com algum habilidade (como no passe que deu pro Dentinho). Questão de expectativa. E de gols, claro.