Destaques

segunda-feira, janeiro 16, 2012

O estupro no BBB

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook



Ontem, domingão, estive totalmente alheia à internet e só acordei para a polêmica do fim de semana hoje pela manhã. Em poucas palavras: tudo indica que houve abuso sexual no Big Brother Brasil 12. Parece (não vi todos os vídeos, porque, né? Ninguém merece) que esse participante Daniel tentou ficar com todas as mulheres em uma festa do programa, sem sucesso. Investiu várias vezes em Monique, que disse sempre não, apesar de ter cedido um selinho, ao que parece dentro de uma brincadeira. Quando Monique capotou na cama, bêbada, Daniel entrou em seu quarto e trocou carícias com ela, que estaria desacordada. Se houve relação sexual completa é impossível dizer, mas, óbvio, pouco importa.
A garota estava completamente bêbada e foi abusada. Isso é estupro, por definição. Mesmo que não tenha havido penetração, continua sendo estupro. Aí sabe o que o palhaço Pedro Bial (depois dessa eu não tenho porque não ofendê-lo) ainda teve a pachorra de perguntar para a garota se “foi só uma ficada”. E ainda comentou: “o amor é lindo!”. Mas Monique não lembra do que aconteceu, e como poderia?
O que não surpreende, mas entristece e revolta, é o fato de ter muita gente, inclusive mulheres, dizendo que Monique é a culpada pelo que aconteceu. Tem gente que diz que, se ela estava bêbada, estava mesmo pedindo. A saia curta, então, era um convite ao abuso. Não quer ser estuprada, não use roupas inadequadas, é o que diz o senso comum.


Infelizmente, a impressão que tenho é que Monique tampouco se sente à vontade para elaborar o que aconteceu naquela noite. O boçal Daniel garante a ela que não houve sexo, “só uns amassos e beijos”. Mas quem define o que é sexo e, por consequência, estupro? O texto do Papo de Homem resume bem essa discussão: o poder é de quem define o que é estupro. Se esse direito é dado a quem comete a violência, o estupro deixaria de existir, não? Por isso, na dúvida, não estupre.
Mas continuando com Monique, ela parece estar num estado em que não tem condições emocionais nem argumentos para saber que sim, sofreu um estupro, por vários motivos:
1 – Pedro Bial falou em amor. Oras, se o todo poderoso apresentador falou em amor, é porque nada sério pode ter acontecido
2 – A produção do programa não tomou qualquer providência a respeito. Afinal, se há um ato de violência na casa, eles devem intervir. A segurança física dos participantes é responsabilidade da Globo, certo? Se eles não fizeram nada é porque não havia problemas
3 – A edição da cena, que teria uns três minutos na íntegra, durou 6 segundos no VT a que a participante pôde assistir no programa ao vivo. Olha. De três minutos pra 6 segundos a diferença é tão grande que até eu imaginaria que o moço estava lá só pra dizer boa noite (NOT!)
4 – A vida toda ela ouviu, como toda mulher, que deveria se dar ao respeito. Se não quiser que homens encham o saco, passem a mão na sua bunda ou a estuprem, que não dê chances para isso. Não importa quantas Marchas das Vadias aconteçam nesse mundo, esse pensamento não muda. Claro, ninguém lembra que para haver abuso deve haver um abusador, e que é ele que deve ser controlado, não a quantidade de bebida na corrente sanguínea ou de tecido na roupa da mulher. Monique, embora vítima, acredita nesse discurso. Está envergonhada de sua conduta. Como poderia protestar?
Em suma, esse escândalo TEM que dar em alguma coisa. Alguém TEM que ser punido. Quer dizer, não só o abusador, mas também a Rede Globo, que permitiu que isso acontecesse enquanto mantinha pessoas sob sua responsabilidade. Porque, convenhamos, se Monique tivesse ido para sua própria casa, bêbada, não poderia ter sido atacada por um estranho, certo? Além disso, é a própria Globo que estimula o consumo de álcool em doses cavalares, porque só assim a “pegação” acontece. Arque com as consequências de sua escolha.
Mas, por algum motivo, eu não acredito que isso vá acontecer. Por que será?

Mais links para a discussão sobre o estupro:
ps: o homofóbico e agora misógino Rica Perrone se manifestou sobre o assunto em seu Twitter. Não vou colocar o link aqui para não aumentar a audiência desse ser, mas vocês podem imaginar o teor de seus comentários, não?

16 comentários:

Anselmo disse...

tô totalmente por fora da história. ao ler, fiquei muito assustado.

eu não assisti ao vídeo mas acredito no parecer da thalita. e, se houve abuso nesses termos, quer dizer que aconteceu um crime hediondo ali. E precisa ter consequência.

além de ter o aspecto da responsabilidade por quem está na casa, a emissora tem responsabilidade por transmitir cenas assim ao vivo, ainda que no payper view e ainda que com alertas de classificação etária. Bom momento pra discutir concessão de radiodifusão.

Glauco disse...

Também não tinha visto ou sabido disso, acho que o espetáculo grotesco atingiu o auge. E essas reações descritas pela Thalita são de matar qualquer um de vergonha...

Jessica disse...

Rapidinho, só pra corrigir, o VT não é exibido para os participantes ou seja, ela não viu a cena. Outro ponto relevante, é que a Globo chamou a Monique no confessionário para perguntar a ela o que aconteceu debaixo do edredon, se o Daniel fez alguma coisa para ela. Ela disse que não, não tinha acontecido nada, porque ela não lembrava de nada que tinha acontecido. Foi depois disso que ela foi perguntar ao Daniel o que aconteceu, porque ela ficou encanada com o chamado no confessionário. Ou seja, se ela não lembra, a Globo não toma atitude nenhuma. Bonito, né?

Thalita disse...

os participantes não assistem ao vídeo editado que vai ao ar qdo eles estão conversando com o Pedro Bial? Eu tinha lido que ela podia ver esse vídeo sim. Mas de fato não tenho como saber...
Depois de ser chamada ao confessionário, a Monique disse a uma outra participante: "Me chamaram no confessionário para perguntar se tínhamos feito alguma coisa. Eu sei que não fiz, mas começo a pirar. Será que eu fiz? Será que não? Estou muito mal com isso".
Ela vai passar maus bocados nesse programa ainda, certeza...

ALÔ! ALÔ! disse...

Fiquei tão chocada com a notícia que não sei nem por onde começar.A esta altura da história o que menos importa é se a menina viu ou não o vídeo.O rapáz estava na festa,"chegou nela",ela disse não e,mesmo assim,quando a menina foi deitar,completamente bêbada,ele invadiu a privacidade dela e lhe tocou sem permissão. Não conheço outro nome para isso além de estupro.É inaceitavel que ninguém faça nada,que não de ao fato a devida importância,mesmo que,constrangida,a menina releve,(o que,na minha opnião,ela não deve),a direção do programa tem obrigação de retirar o participante do jogo,do contrário o que esta permissividade estará indicando?Que cena lamentável. Abraços,Anna Kaum.

Jessica disse...

Pois é, ela não sabe o que aconteceu e nem viu o vídeo da cena em questão. Coisa que a produção poderia ter feito no confessionário, ao chamar ela pra conversar.

Outra coisa: assinantes do PayPerView disseram que ela viu a cama molhada ao acordar e ficou assustada. Ainda não achei esse vídeo pra me certificar do que estão falando, mas se a cama estava molhada, alguma coisa aconteceu...

Thalita disse...

Bom, não sei mto bem o que pode ser feito agora. Vi advogado falando que pra ser investigado a vítima teria que denunciar o crime, por estupro é crime privado, mas vi tb a polícia dizendo que vai investigar. A Globo VAI ter que mostrar os vídeos. Pq tudo o que eles poderiam ter tirado do ar já foi... vc não vai achar o vídeo da cama molhada, certamente...

Glauco disse...

A Lei n. 12.015/2009 diz no seu artigo 225: "Nos crimes definidos nos Capítulos I e II deste Título [entre eles estupro e violência sexual mediante fraude] procede-se mediante ação penal pública condicionada à representação.

Conforme o link aqui, nesse tipo de ação "a vítima (ou seu representante legal, caso ela seja incapaz) devem exercer o direito de ação (a representação) dentro de 6 meses após o conhecimento do autor do crime".

Nicolau disse...

Essa questão da representação legal é que era um problema na história: pelo que entendi, em tese, se ela não ficar sabendo, não se poderia abrir um inquérito. Mas a lei com certeza não previa um estupro sendo transmitido ao vivo e nem celebrado grotescamente em cadeia nacional.

De toda forma, a polícia foi a Projac para investigar e a Globo decidiu expulsar o tal Daniel do programa no fim da tarde de segunda.

http://f5.folha.uol.com.br/televisao/1035244-apos-suposto-estupro-daniel-e-expulso-do-bbb12-diz-jornal.shtml

Uma ironia é que o fato aumentou em 80% a audiência dessa merda de programa - que é a mais baixa entre as edições até aqui.

http://f5.folha.uol.com.br/televisao/1035412-expulsao-de-daniel-faz-ibope-do-bbb-disparar-80.shtml

Uma situação absolutamente surreal e escrota. É fundamental que o tal Daniel enfrente na Justiça as consequencias de seus atos e que a Globo sofra as consequências por ter tentado publicamente esconder o fato e fingir que nada aconteceu.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

O BBB é um jogo de aparências, em que as normas não são escritas, mas devem ser seguidas. Se expor, garantir aos onanistas de plantão um peito o uma bunda mostrada em close em rede nacional, fazer suspirar marmanjos e mulheres, que também sonham com aquele silicone, com aquela exposição e "fama", por mais efêmera que seja, é motivo de orgulho. Mas desviar do "padrão" é razão para virar puta, para ser tratada com desprezo e para de vítima, virar algoz.

A garota estuprada no Big Brother tinha - e ainda tem - tudo para virar mais um sex symbol efêmero, posar em alguma revista masculina, figurar em páginas de fofocas e no imaginário de homens e mulheres por algumas semanas, quiça meses, desde que não quebre as regras do jogo. De um jogo de sedução, de sexo, de suposto prazer em que, por estar ali, exposta, deve se entregar totalmente, sem condicionais.

Não houve estupro, dirão uns e outros, mas sim algo que é parte do jogo. É apenas "amor", como disse Pedro Bial. A sensação é a de que, ao entrar na Casa, você abdica de sua cidadania, de seus direitos, de sua dignidade.

Você entrou então tem de estar preparada para se expor e ser exposta no "jogo da vida", mesmo que este tenha se tornado um show da degradação da vida.
http://www.tsavkko.com.br/2012/01/big-brother-brasil-o-show-da-degradacao.html

Anônimo disse...

Ela afirmou que estava consciente:

http://f5.folha.uol.com.br/televisao/1035535-bbb12-monique-negou-estupro-em-depoimento-a-policia.shtml

olavo disse...

Ops, o comentário anterior é meu, esqueci de "assinar".

Crystall disse...

Paciencia tambem, primeiro que o programa tirou o Daniel da casa, entao nao se pode dizer que o programa nao fez nada. Segundo que como nao se sabe certo o que aconteceu, deveria entao ter tirado os dois da casa. A monique e tao santa que ja ficou com mais dois na casa apos o acontecido, coisa que nao faria se tivesse ficado tao abalada ou preocupada com a sua imagem. Ai o povo quer sacanagem e a culpa e da globo? fala serio, pensa antes de comentar ne ..

Karin disse...

quem sabe se a globo (essa emissora tão comprometida com o brasil) oferecesse algo além de baixaria e sacanagem o povo não teria outras vontades, hein crystall? o povo aprende a querer o que essa tv lixo do brasil impõe, então acho que a ordem dos fatores não é bem essa.

Nicolau disse...

Crystall, a Monique pode trepado com a torcida do Corinthians inteira. Desde que sóbria e consciente sobre seus atos. Se ela estava bêbada e inconsciente, foi abuso. Não está em julgamento a moral da mulher, todas e todos têm o direito de fazer o que bem entenderem consigo mesmos. A questão é o que outros fazem quando a mulher está indefesa.

Karin disse...

é isso, nicolau!