Destaques

quinta-feira, outubro 23, 2008

O que acontece com Carlos Alberto?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Leio hoje, no Lance!, que o vice-presidente do Botafogo-RJ, Carlos Augusto Montenegro, admitiu que o elenco do clube carioca está rachado: Lúcio Flávio, Túlio e Wellington Paulista estariam liderando um dos grupos e Carlos Alberto (à direita) e Diguinho, outro. "Carlos Alberto não está sendo profissional. Por causa de um ato idiota contra o Grêmio, poderia não jogar mais em 2008. Ele não tem solidariedade e respeito ao Botafogo", disparou Montenegro. Difícil dar crédito irrestrito a afirmação de um cartola, mas que Carlos Alberto tem dado motivos para ser criticado, não resta dúvida. Ou alguém se esqueceu do nebuloso episódio de sua saída do São Paulo?

De dois anos para cá, o meio-campista nunca mais foi o mesmo das boas atuações por Fluminense e Porto, no início da década. Contratado como galático (sic) pela malfadada MSI, por cerca de R$ 22 milhões, Carlos Alberto teve desempenho irregular na conquista do também nebuloso Campeonato Brasileiro de 2005 pelo Corinthians. Depois do quebra-pau na eliminação da Libertadores de 2006 para o River Plate, em pleno Pacaembu, o clima pesou. Emerson Leão assumiu o alvinegro paulistano e o jogador começou a mostrar seu lado bad boy: em um jogo pela Copa Sul-Americana contra o Lanús, foi substituído ainda no primeiro tempo e ficou irritado, ofendendo ostensivamente o treinador. O Corinthians perdeu e foi eliminado da competição e, alguns dias depois, Leão decidiu afastá-lo do grupo.

Carlos Alberto voltou ao Fluminense, discreto, e em seguida teve uma experiência ruim no alemão Werder Bremen, onde passou a maior parte do tempo contundido. Visivelmente fora de forma (eufemismo camarada para gordo), o meio-campista desembarcou no Reffis do São Paulo para se recuperar e, de quebra, conseguiu um contratinho de empréstimo - fato que não foi comemorado por nenhum são-paulino. Não jogou quase nada no Tricolor, marcou só um golzinho e saiu mais cedo, depois de se meter em outra confusão. Pouco depois, ainda foi flagrado debochando de um colega de profissão. Agora, está dando o que falar no Botafogo. O que passa pela cabeça desse jogador? Custa muito ficar quieto e cumprir contrato, mesmo na reserva, mas lucrando milhares de reais? Sinceramente, não compreendo.

8 comentários:

Glauco disse...

É bom lembrar que no Porto ele já estava na berlinda também. Em resumo, jogador-problema que alguém um dia falou que era craque e ele, tolo, acha que é mesmo.

olavo disse...

Sabe o que eu acho? Que ele é ruim de bola, pura e simplesmente. Esse papo de "craque sem cabeça" é uma boa desculpa pra sujeito que não é tão bom assim. Eu sempre cito esse jogador, e vai lá de novo: início de carreira por início de carreira, o do Fábio Júnior foi bem melhor que o do Carlos Alberto. Então porque o centroavante é "enganador" e o meio-campista é um "craque que não deu certo"?

Rafael Evangelista disse...

Mas, meus caros, ele vinha jogando muito bem no Botafogo. E não era reserva em hipótese alguma, ao contrário, é jogador chave do time. Ou seja, o Botafogo recuperou o jogador.
Agora vejam a situação, o Bota está com 2 meses de salário atrasado. E isso aconteceu o ano todo.
Aí chega o dirigente e fala que o problema é o grupo rachado e o próprio afirma que o racha é por causa do salário. Acho q não dá pra botar tudo na conta do CA.

Marcão disse...

Exatamente por isso, Rafael, que escrevi: "Difícil dar crédito irrestrito a afirmação de um cartola, mas que Carlos Alberto tem dado motivos para ser criticado, não resta dúvida".

Nicolau disse...

Pode ter problemas no Botafogo, mas isso não salva o Carlos Alberto de ser um cretino que acha que é a última azeitona da empadinha. Concordo com Glauco e Olavo: ele é um jogador meia-boca que acha que é craque. Dá muito mais dor de cabeça do que resolve.

Guilherme disse...

Como Corinthiano eu pergunto: por que sempre tem um idiota que contrata ele? Só da dor de cabeça, joga bem um pouco e atrapalha depois! Vai acabar nas arábias, pode escrever!

Anselmo disse...

Guilherme,
meu palpite é que,por trás das contratações, tem um empresário competente (não me peçam pra conceituar competência, por favor) e um dirigente tonto ou que não pensa no time.

Bruno disse...

Aqui em Portugal, o Carlos Alberto deu muitos problemas ao Porto (ainda bem!!!). Era, sem dúvida, um grande jogador mas num clube com fama de disciplinador, estava condenado ao insucesso. O processo foi idêntico ao do Diego que está no Werder Bremen, que também não se deu bem com os ares do Porto. O último grande centro-campista brasileiro que passou pelo Porto foi o Deco, que está agora no Chelsea. Por isso, o Porto aposta agora em argentinos e uruguaios. 8 ou 9 jogadores da equipa principal são dessas nacionalidades. Já o meu Benfica continua a apostar, com sucesso, em grandes jogadores brasileiros: desde o Luisão, Sidnei(ex-Inter), David Luiz (ex-Vitoria), o lateral-esquerdo Léo (ex-Santos), etc.